5 dicas para tirar fotos da sua viagem com o celular

Fotografe com o celular e não leve a câmera para a viagem publicado 3 de janeiro de 2018.

Início de ano provavelmente é uma das épocas em que as pessoas mais gostam de viajar. Escolher o que levar ou não na mala costuma ser um desafio, ainda mais quando se faz necessário economizar espaço e carregar o mínimo de coisas possível.

O celular é, hoje em dia, uma ferramenta que une em um único aparelho várias funções, nos livrando de vários objetos que ocupariam algum espaço. Um deles é a máquina fotográfica, fazendo um bom uso da câmera do seu smartphone você poderá fazer ótimos registros de sua viagem e desocupar uma área na mala que pode ficar para, na volta, colocar a lembrancinha de alguém.

Veja abaixo algumas dicas para utilizar melhor seu celular e garantir fotos de qualidade:

 

1. Conheça seu equipamento

Por mais que as câmeras dos celulares tenham suas limitações sempre há mais para usar do que apenas o básico. Priorize o uso da câmera traseira, ela tem uma resolução melhor do que a frontal.

Muitos celulares disponibilizam opção de aumento ou diminuição da claridade da imagem ou escolha do ponto focal da imagem, com isso é possível deixar uma pessoa na frente focada e o fundo desfocado, por exemplo. Se a função de câmera do seu celular não tem estas opções, há aplicativos que disponibilizam alternativas de uma fotografia mais manual do que automática.

Mas antes de tudo, verifique se a lente do seu celular está limpa, pode parecer banal, mas é um fator que influencia em muito na qualidade da sua imagem.

 

2. Atenção à luz

De preferência a luz natural, para isso é interessante fotografar em ambientes abertos ou que seu foco de interesse esteja próximo a uma fonte de luz ou janela. Por exemplo, se deseja fotografar uma pessoa dentro de uma sala leve-a próxima a uma janela para que fique melhor iluminada. Lembre-se também de deixá-la de frente para a a fonte de luz; ao fotografar na contra luz o protagonista da sua foto ficará na sombra, ou pior, será necessário utilizar o flash que faz com que  qualidade da imagem diminua.

Se não for possível fugir do uso do flash, recomendamos que utilize a luz de outro celular para iluminar o objeto a ser fotografado de um ângulo não tão frontal ou mais afastado, e não o da própria câmera, para que a iluminação da imagem fique mais natural.

Outra questão relacionada a luz é observar o horário do dia. Ao meio-dia temos normalmente a maior claridade do dia, porém, como o sol está a pino as sombras serão duras e marcadas. Por incrível que pareça a luz dos dias nublados é mais interessante para a fotografia do que dias muito ensolarados, pois suas sombras são mais leves e deixam as fotos mais suaves e uniformes.

Dois horários queridinhos dos fotógrafos profissionais, conhecidos como “a hora mágica”, são a primeira hora após o nascer do sol e a última hora antes do por do sol, que dão uma tonalidade dourada a luz trazendo um filtro natural à imagem.

 

3. Atenção ao ângulo

Tirar uma foto não se resume a ligar a câmera e fazer a foto. Observe seu objeto de interesse, verifique se de um lugar diferente do que se encontra a imagem pode ficar mais interessante (aqui entra um pouco do dito no tópico acima, as vezes seu objeto está contra a luz, se for possível vá para a posição contrária para que ele seja bem iluminado). Por exemplo, a imagem da Torre Eiffel já se tornou um clichê, o local para tirar a foto “perfeita” está batido, se você tirar uma imagem bem debaixo da torre, pegando apenas parte ou um detalhe dela sua foto fugirá do lugar comum.

Um truque que pode te ajudar a distribuir bem o assunto pela imagem é usar a Regra dos Terços. Ao dividir a imagem com duas linhas na horizontal e duas na vertical, os pontos que se cruzam são considerados os pontos de ouro da fotografia para onde os olhos costumam ir numa imagem. Portanto, muitas vezes a cena fica muito mais interessante se seu objeto de interesse (uma pessoa, um prédio, uma estátua, etc) se encaixar em um desses pontos de convergência do que centralizado no retrato. Normalmente os celulares contêm a opção “Grade de assistência” que serve exatamente para encaixar a imagem na Regra dos Terços.

Por fim, um ponto muito importante é sempre manter a linha do horizonte reta, principalmente em fotos de lugares muito planos em que ela esteja bem visível, como praias ou desertos. O horizonte torto é algo que incomoda muito o olhar e deixa a foto feia, por menor que seja o desvio.

 

4. Não use o zoom

O zoom do celular é digital, e não óptico como o de uma câmera profissional, com isso conforme você o utiliza a qualidade da imagem cai drasticamente.

Sempre que possível se aproxime do objeto a ser fotografado ou deixe para aproximar cortando a imagem depois na edição.

 

5. Edite as fotos

Quando pensamos em programas ou aplicativos de edição de imagem normalmente vem a cabeça aquelas fotos onde as alterações são gritantes, como pessoas que alteram o corpo de forma grotesca ou transformam as fotos em desenhos, pinturas e afins.

Esqueça estes exemplos, é possível fazer bom uso dessas ferramentas. As limitações que sua câmera impõe podem ser dribladas nesta etapa. Uma cor que não saiu tão vibrante quanto queria, a iluminação que ficou escura ou estourou. Tudo isso, alterado de forma controlada, pode deixar sua foto ainda mais bonita. Recomendamos apenas que evite filtros prontos, que deixam as fotos com uma aparência repetitiva.

 

Enfim, talvez você se sinta mais seguro se começar testando em passeios curtos pela cidade antes de arriscar o registro de uma viagem inteira apenas no celular, mas um último ponto interessante é a possibilidade de mandar todas as fotos diretamente para a nuvem, sem riscos de perder nenhum dos registros.

 

Valeu! Agora você estará sempre por dentro do mundo Brodda!

Clique aqui para fechar! X